Jornal Visão | Brasil joga mal, perde para a Argentina e aumenta a má fase

Brasil joga mal, perde para a Argentina e aumenta a má fase

Por: Redação Jornal Visão

A má fase do Brasil continua. Sem conseguir ganhar desde que levou o título da Copa América, em julho, a Seleção sofreu uma nova derrota em amistosos. E logo para a arquirrival, a Argentina. Com gol de Lionel Messi, os hermanos superaram a equipe de Tite por 1×0, nesta sexta-feira (15), em Riad, na Arábia Saudita.

O melhor jogador do mundo, aliás, sabe bem o que é fazer gol no Brasil. A canarinho é a seleção que sofreu mais gols de Messi, juntamente com o Paraguai: foram cinco – e isso só contando partidas pela equipe principal.

O clássico foi sem brilho para o Brasil. Ainda no primeiro tempo, a equipe chegava a ter a bola, mas não conseguia criar jogadas. Ainda assim, teve a primeira oportunidade clara de gol, quando o árbitro marcou um pênalti de Pezzella em cima de Gabriel Jesus. O camisa 9 deslocou o goleiro, porém, chutou para fora.

Se quem não faz leva, a Argentina foi quem abriu o placar – e em um lance também originário de penalidade máxima, logo depois. Alex Sandro deu um toque em Messi, que caiu na grande área. O craque chutou, Alisson defendeu e, no rebote, o camisa 10 mandou para o fundo da rede.

O gol sofrido não fez o Brasil voltar ao jogo. Ao contrário: a Seleção seguia jogando mal e com dificuldade de sair do campo de defesa. Enquanto isso, a Argentina queria ampliar o placar e a crise do rival. No fim do segundo tempo, foi uma sequência de chances incríveis para os hermanos, com Paredes, Messi, Lautaro e Guido Rodríguez. Poderia ter vencido por um placar mais elástico, mas o resultado ficou estacionado no 1×0.

Com a derrota, a seleção brasileira chegou ao quinto jogo sem vitórias. Antes, perdeu para o Peru e empatou com Colômbia, Senegal e Nigéria. Agora, se prepara para enfrentar a Coreia do Sul, terça-feira (19), às 10h30, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

A última vez que o Brasil teve uma sequência tão longa sem vencer foi há 28 anos, entre 1990 e 1991, sob comando de Paulo Roberto Falcão. Na ocasião, foram sete jogos sem ganhar.

O jogo
O Brasil começou a partida sem se achar. E, ligada, a Argentina já criava boas chances ainda no primeiro minuto, aproveitando duas bobeiras de Paquetá e Militão. A seleção canarinho só conseguiu uma oportunidade aos 5 minutos, com Gabriel Jesus, mas o chute saiu fraco para a defesa fácil de Andrada.

Pouco depois, Firmino roubou a bola de Foyth e enviou para o camisa 9, que, em um drible, foi derrubado por Pezzella na área. O juiz viu e marcou pênalti. O próprio Jesus bateu, mas o chute, rasteiro, foi para fora.

Aos 12, foi a vez da Argentina ganhar uma penalidade máxima. Messi acelerou a jogada e Alex Sandro tocou. Na hora de cobrar, o craque do Barcelona chutou no canto direito de Alisson, que conseguiu a defesa. Mas o goleiro deu o rebote e o camisa 10 não desperdiçou de novo: 1×0 para os hermanos.

Se já sentia grande dificuldade em criar, o Brasil assim seguiu mesmo atrás no marcador. Enquanto isso, os argentinos seguiam tentando. E, em um corte de cruzamento de Eder Militão, Messi pegou a sobra de bola e dominou – mas o zagueiro cortou de novo.

Na tentativa de melhorar a equipe, Tite pediu para Jesus, até então na ponta, passar a jogar mais centralizado, perto de Firmino – que, por sua vez, virou ponta de lança. Já Paquetá passou a atuar pela direita. O Brasil começou a ter mais posse de bola, mas as chances não eram criadas. Na oportunidade que surgiu, em uma bobeira na saída de bola por Paredes, Willian errou o passe.

Para o segundo tempo, o treinador do Brasil escolheu tirar o camisa 10 Paquetá – que teve atuação discreta – e botou Philippe Coutinho em campo. A ideia logo funcionou. Na primeira bola, o 11 do Brasil driblou dois adversários e lançou para Jesus, só que o jogador perdeu o tempo da bola. Willian ainda tentou o empate, mas não deu.

No seguimento, a Argentina voltou a criar suas chances. Primeiro, com Ocampos, só que a bola foi por cima. Depois, com Messi, e Alisson defendeu. Em seguida, com Paredes, também impedida pelo goleiro. Não acabou: ainda tentaram com Lautaro, que dominou, fuzilou e errou o alvo, e Guido Rodríguez, que aproveitou uma bola perdida por Coutinho e chutou, só que também não acertou. Nos acréscimos, o Brasil começou a arriscar. Mas era tarde demais, e a derrota foi confirmada.

 

Fonte: Chico Sabe Tudo.

Veja Mais


Copyright © 2016 Jornal Visão. Todos os Direitos Reservados.



Desenvolvido por:

Logo do Desenvolvedor: Paksi Soluções em Tecnologia