Felipe Melo ‘ganhou’ Eduardo Baptista, diretoria e seus companheiros…

Por: Jornal Visão

 

Felipe Melo em Entrevista coletiva na Academia de Futebol.

Felipe Melo em Entrevista coletiva na Academia de Futebol.

 

 

Foi em outubro de 2016.

Um empresário avisou Alexandre Mattos.

Felipe Mello não ficaria mais na Inter de Milão. O então treinador Frank de Boer tinha uma missão imposta pela direção do clube. Diminuir a idade e a folha salarial do time italiano. E o volante brasileiro foi escolhido como um dos alvos principais.

Conhecendo o gênio do volante, bastou De Boer o colocar na reserva e logo ele acionou seu empresário, buscando novo clube. Mattos foi acionado e conversou com Cuca. O então treinador palmeirense se empolgou. Disse que era o jogador que faltava no elenco. Líderes ‘bonzinhos’, ele já tinha. Fernando Prass, Zé Roberto, Edu Dracena.

Precisava de alguém capaz de encarar a principal estrela adversária jogando fora de casa, questionar juízes, bandeirinhas. Um atleta capaz de de dar uma entrada mais forte, se necessário. Alguém que não se intimidasse de maneira alguma.

E fosse um ótimo jogador.

E há anos, Cuca cobiçava Felipe Melo. Acreditava que seria Leandro Donizete muito aprimorado. O volante que o Santos contratou foi fundamental, na avaliação do treinador, na conquista da Libertadores em 2013.

Com Felipe Melo seria melhor. Mas Cuca não conseguiu acertar suas divergências com Paulo Nobre e preferiu cuidar de dois parentes próximos adoentados.

138 Felipe Melo ganhou Eduardo Baptista, diretoria e seus companheiros. Mostrou dupla personalidade. Humilde, amigo, parceiro do técnico, do time. E arrogante, provocador com jornalistas e adversários. O Palmeiras contratou o jogador que faltava para brigar pela Libertadores e Mundial. Como Cuca havia previsto…

Cuca tinha vivência, experiência, personalidade para enquadrar Felipe Melo, se fosse necessário. A diretoria contratou, apostou na juventude, na visão moderna de futebol de Eduardo Baptista.

Mas o presidente Mauricio Galiotte e Mattos ficaram preocupados. Não sabiam como seria a relação entre o jovem treinador e o experiente e explosivo volante. Ainda mais depois que souberam de sua demissão do Fluminense. Seu trabalho foi implodido pela péssima relação com Fred.

Mas coube a Felipe Melo acabar com essa tensão.

Procurou Eduardo Baptista e, diante do grupo, avisou que estaria disposto a fazer o que precisasse. Que seria mais um no elenco. Não exigiria tratamento especial. E obedeceria o que o técnico determinasse.

Ninguém esperava essa postura humilde de Felipe Melo.

Foi Eduardo Baptista, Galiotte e Mattos perceberam porque Dunga era ‘apaixonado’ pelo jogador carioca. Ele tem uma postura bipolar. Para a imprensa, torcedores e adversários, ele é um. Polêmico, provocador, arrogante. Para o grupo, o inverso. Um líder positivo, vibrante e submisso ao técnico dentro do grupo.

Por isso, a empolgação com Felipe Melo dobrou entre os dirigentes.

Depois de se mostrar um jogador ‘de grupo’ veio o show para a imprensa.

A hora das provocações, justificar a ‘fama de mau’.

E ele caprichou.

320 1024×642 Felipe Melo ganhou Eduardo Baptista, diretoria e seus companheiros. Mostrou dupla personalidade. Humilde, amigo, parceiro do técnico, do time. E arrogante, provocador com jornalistas e adversários. O Palmeiras contratou o jogador que faltava para brigar pela Libertadores e Mundial. Como Cuca havia previsto…

“Quando o Mattos me ligou ele disse que o time estava sendo montado para ganhar todas as competições, não só a Libertadores. Queremos ganhar tudo. Vamos fazer um grande trabalho. Nós sonhamos em ganhar tudo e fazer história aqui dentro. Ganhei o Brasileiro pelo Cruzeiro e sei o quanto é gostoso. Quero repetir. O time a ser batido é o Palmeiras. Eu joguei a Libertadores quando era jovem, era coadjuvante. Agora, eu sou ator principal.”

“Essa história de que o Felipe Melo é maldoso foi criada pela imprensa. Se não me engano, a minha média de cartões é menor do que a do Gabriel Jesus, menor do que a do Fernandinho, que está na Seleção. As imagens que mostravam de mim era de expulsões, de faltas.

“Felipe Melo não é só porrada é técnica também. Não fiquei 13 anos à toa na Europa. Se tiver que dar tapa em uruguaio, eu vou dar, se tiver que dar porrada, eu vou dar porrada.

“Eu acho que fui injustiçado, tinha sido o melhor meio-campista da Itália. Acho que faltou um treinador de culhão para me levar à Seleção. Acho que o Brasil agora está muito representado de treinador e de auxiliar, que é o Sylvinho, com quem trabalhei no Inter. Mas a minha seleção agora é o Palmeiras

“Eu recebi o vídeo e achei engraçado (o diretor de futebol do Corinthians, Flávio Adauto, chamando Felipe Bastos de ‘Felipe Melo”). A televisão só fala de Felipe Melo e ele se confundiu. Vai ser bacana o nosso rival trazer bons jogadores. O Fellipe Bastos, não conheço, mas sei que é um bom jogador. Mas o Pitbull de verdade está aqui.

516 Felipe Melo ganhou Eduardo Baptista, diretoria e seus companheiros. Mostrou dupla personalidade. Humilde, amigo, parceiro do técnico, do time. E arrogante, provocador com jornalistas e adversários. O Palmeiras contratou o jogador que faltava para brigar pela Libertadores e Mundial. Como Cuca havia previsto…

“Existe mau caráter em todo lugar, mas muitos de vocês (jornalistas) ganham dinheiro para falar mal dos outros, vocês perdem a linha, faltam com respeito com a família, com o ser humano. Existem críticas, e eu acho que faz parte a crítica”, declarou.

“Eu, como torcedor, vendo jogo em casa, critico mesmo. Mas jamais vou falar ‘esse cara é um ‘songamonga’, um desastre, um desgraçado’. Isso não é muito diferente do cara que solta bomba, isso e aquilo, porque isso é maldade. E o cara que tem maldade no coração não serve para a humanidade.

“O Flamengo não me procupou desta fez. (Sondou.)O único clube que fez uma oferta para mim foi o São Paulo. A única concorrência que teve foi do São Paulo. O Marco Aurélio Cunha fez uma proposta. A forma como eu conversei com o Palmeiras foi muito importante, não vazou nada.”

O que pesou para Felipe Melo aceitar a proposta palmeirense foi também o dinheiro. Ele ganhará R$ 350 mil fixos, R$ 20 mil por partida, mais luvas de R$ 8,4 milhões, divididas em 12 parcelas trimestrais de R$ 700 mil. Seu contrato tem três anos.

Felipe Melo mesmo sem pedir, entrará no rodízio de capitães.

Dudu e Fernando Prass têm a prioridade.

Mas não será surpresa se em jogos na Libertadores, a faixa for sua.

Principalmente em partidas importantes fora do Brasil.

Depois da repercussão da entrevista de Felipe Melo, Galiotte e Mattos estão eufóricos. Empolgados. Têm a certeza de que Cuca estava mais do que certo.

O jogador que faltava ao Palmeiras na Liberadores chegou.

Tem nome e sobrenome.

Felipe Melo…

Fonte: R7

Veja Mais


Copyright © 2016 Jornal Visão. Todos os Direitos Reservados.



Desenvolvido por:

Logo do Desenvolvedor: Paksi Soluções em Tecnologia