Jornal Visão | Vereador de Paulo Afonso no norte da Bahia, renuncia aumento de salário e diz “aumento é inconstitucional”

Vereador de Paulo Afonso no norte da Bahia, renuncia aumento de salário e diz “aumento é inconstitucional”

Por: Redação Jornal Visão

Vereador Mário Galinho, o mais jovem eleito na cidade renuncia a aumento salarial de vereadores

Em apenas um mês de mandato, o vereador Mário Galinho tem se destacado com suas ações. Depois de encabeçar a campanha Ciclovia Já, Projeto de mobilização social, que visa a adequação do trânsito na cidade para ciclistas, o vereador tomou mais uma decisão de impacto social. Desta vez, renunciou ao aumento salarial, através de oficio apresentado à Presidência da Câmara. 

Vereador Mário Galinho em seu gabinete mostrando o protocolo que abre mão do aumento em seu subsídio. (Foto: assessoria de impressa Mário Galinho)

O aumento de salário aprovado pela maioria da Câmara em dezembro de 2016, contemplou também os secretários municipais e o prefeito municipal, cujo salário atingiu a ordem de R$ 33.700, representando cerca de 60% de aumento. 

 

Perguntado sobre o motivo de sua decisão, o Vereador Mário Galinho alegou que dois fatores o levaram a isso.

“Eu tenho plena convicção e estou tranquilo com minha decisão. Há um motivo jurídico e um social que me levaram a renunciar o aumento. Primeiro, há uma ação civil pública proposta pelo ministério público eleitoral, a qual demonstra todos os aspectos da ilegalidade do aumento. Após tomar conhecimento, achei por bem me adiantar optando por não receber o valor relativo ao aumento salarial aprovado”, e a Lei é clara, este aumento é inconstitucional”, destacou o Vereador Mário Galinho.

O outro motivo tão forte quanto o jurídico é que o tempo atual não permite esse aumento salarial para nossa classe politica em Paulo Afonso. A crise econômica atingiu em cheio o município e muitas pessoas não tem o poder aquisitivo necessário a uma sobrevivência digna. O salário já era bom, não havia necessidade de aumentar. Eu me sinto desconfortável sabendo que, mesmo eu não tenho participado da sessão que aumentou o salário, existem pessoas que vivem com o mínimo, sem qualquer expectativa de melhora a curto prazo. Minha intenção não é polemizar e muito menos promover confronto politico, mas sim fazer as coisas da forma que a minha consciência pede, finalizou Mário Galinho, que a partir deste mês deverá passar a receber 2 mil reais a menos no salário.

Redação: Assessoria de imprensa Mário Galinho 

Veja Mais


Copyright © 2016 Jornal Visão. Todos os Direitos Reservados.



Desenvolvido por:

Logo do Desenvolvedor: Paksi Soluções em Tecnologia